MAIS LIDAS

    postado em 04/03/2024 15:38

    Na manhã deste sábado (2/3), ocorreu a ação Dia D - Brasil unido contra a dengue, mobilização nacional  que contou com a união do governo federal, estados, municípios e de toda a sociedade para reforçar as atividades de prevenção e eliminação dos focos do mosquito, com o tema "10 minutos contra a dengue". No Distrito Federal, o evento aconteceu às 9h, no Sol Nascente e Pôr do Sol, durante a 22ª edição do "GDF Mais Perto do Cidadão", e contou com a presença da vice-governadora, Celina Leão (PP), da secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, e da secretaria de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani. 

    Mais de 60 profissionais da saúde atuaram no combate aos focos do mosquito da dengue e na conscientização de moradores da região. Agentes Comunitários de Saúde (ACS), Agentes de Vigilância Ambiental em Saúde (AVAs) e o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) realizaram visitas domiciliares para identificação de larvas do Aedes aegypti, orientações de prevenção e encaminhamento de pessoas que apresentarem sintomas da doença. Nas tendas, instaladas próximas ao Restaurante Comunitário, também eram feitos testes rápidos para a detecção da infecção

    Celina Leão garantiu que não há subnotificações de casos no DF, afirmando que o Laboratório Central de Saúde Pública já contabiliza mais de 100 mil testes de dengue. "Já na segunda semana de janeiro, notificamos à ministra da Saúde, Nísia Trindade, sobre o alto número de infecções. Observamos que, há 15 anos, essa cepa não circulava no DF. Por isso, estamos investigando as razões para isso ter acontecido", declarou.

    • -Evento GDF Mais Perto do Cidadão no Sol Nascente, que aconteceu no Dia D de mobilização contra a dengue em todo o país. Na imagem (esq. p/ dir. ), Lucilene Florêncio (secretária de saúde do DF), Celina Leão (vice governadora do DF) e Marcela Passamani (secretária de justiça e cidadania do DF).Foto Luís Tajes.
      -Evento GDF Mais Perto do Cidadão no Sol Nascente, que aconteceu no Dia D de mobilização contra a dengue em todo o país. Na imagem (esq. p/ dir. ), Lucilene Florêncio (secretária de saúde do DF), Celina Leão (vice governadora do DF) e Marcela Passamani (secretária de justiça e cidadania do DF).Foto Luís Tajes. LUIS TAJES
    • Evento GDF Mais Perto do Cidadão no Sol Nascente, que aconteceu no Dia D de mobilização contra a dengue em todo o país. Foto Luís Tajes.
      Evento GDF Mais Perto do Cidadão no Sol Nascente, que aconteceu no Dia D de mobilização contra a dengue em todo o país. Foto Luís Tajes. LUIS TAJES

    A vice-governadora do Executivo local também cobrou da população medidas de prevenção. "Temos que mudar nossa cultura. Recentemente, retiramos 500 toneladas de lixo daqui e do Varjão. O GDF tem enfrentado a epidemia de cabeça erguida, mas precisamos da colaboração da comunidade", ressaltou. 

    Lucilene Florêncio lembrou que a alta nos números de óbitos e infecções exige ações rápidas para reverter a situação e fez um apelo. "Ao menor sinal da doença, procurem atendimento nas UBSs, nas tendas de hidratação e no HCamp (Hospital de Campanha da Aeronáutica). Otimista, a secretária disse que a comunidade vai sair do pico de casos em um curto período de tempo. 

    O secretário de Atenção Primária à Saúde, do Ministério da Saúde, Felipe Proença, reforçou que a mobilização semanal é importante para detectar estágios mais avançados do Aedes aegypti. "Neste evento, trabalhamos a prevenção, identificando a necessidade de monitoramento, e a avaliação da equipe se saúde para aqueles que estão com a doença", explicou. 

    Além das ações voltadas ao combate da dengue, a Sala da Saúde ofereceu serviços de odontologia, vacinação e testagem de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A programação incluiu ainda roda de conversa e assistência a mulheres vítimas de violência, em iniciativa do Núcleo de Prevenção e Assistência a Situações de Violência (Nupav) da SES-DF e da Casa da Mulher Brasileira. 

    Números alarmantes

    O Distrito Federal registra 77 mortes por dengue em 2024, conforme informações do Painel de Monitoramento das Arboviroses, do Ministério da Saúde, divulgado no fim da tarde dessa sexta-feira (1º/3). O número representa um salto de 45% em relação à quantidade de óbitos informada anteriormente, ainda nesta semana: 53. Além disso, há 60 óbitos em investigação e 102.757 casos prováveis. No ranking de incidência de casos do Brasil, o DF está na frente, com 3.647 notificações a cada 100 mil habitantes.

    .

    Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:

    Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores. Clique aqui e saiba mais.